O setor de Vigilância Sanitária da Prefeitura de Alvorada informa que o caso de meningite identificado em um menino na escola Paulo Freire é do tipo viral. Segundo a enfermeira responsável pelo setor, Sandra Baldin, esse tipo de meningite é considerado a mais comum e é a menos perigosa.

Trata-se de uma meningite viral asséptica e não bacteriana, diferente das registradas na cidade de Cachoeirinha. O menino que contraiu a doença está no hospital do município, recebe os devidos tratamentos e passa bem. O caso específico não representa riscos para a população, não sendo contagioso, e a Vigilância em saúde está monitorando o caso e acompanhando o tratamento do paciente.

As aulas na escola foram suspensas no dia de hoje(10), e serão retomadas normalmente na segunda-feira(13).

Segue em anexo a nota emitida pela Vigilância sanitária:

        ALGUNS ESCLARECIMENTOS SOBRE MENINGITE
        Em relação aos rumores sobre meningite em Alvorada, cumpre informar:

-NÃO HÁ SURTO DESTA DOENÇA NA CIDADE.

– A administração de vacina para meningococo C está no calendário vacinal de rotina para todas as crianças após os 3 meses de idade.

– A Secretaria da Saúde, através da Equipe de Vigilância das Doenças Transmissíveis está atenta e qualquer modificação no comportamento epidemiológico da doença, será imediatamente comunicada aos órgãos competentes e serão adotadas as medidas cabíveis.

        O que é meningite?
        Meningite é a inflamação das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal.

        O que causa meningite?
        A meningite pode ocorrer por várias causas, desde lesões, tumores e até por infecções provocadas por bactérias, vírus, fungos e parasitas. A gravidade da meningite e o seu tratamento dependem de sua causa. As meningites bacterianas e as virais são importantes do ponto de vista de saúde pública, pela magnitude de sua ocorrência e pelo potencial de produzir surtos.

        Quais os sintomas da meningite?
        Os sintomas mais comuns são febre, dor de cabeça severa, náuseas, vômitos confusão mental, convulsões, rigidez de nuca em pacientes mais comprometidos. Um sintoma especialmente importante é o aparecimento de manchas vermelhas no corpo. Em crianças menores de um ano, os sintomas são menos evidentes: febre, recusa alimentar, irritabilidade ou sonolência e prostração e, em alguns casos, abaulamento de fontanela (moleira). Os sintomas das meningites virais e bacterianas são os mesmos. Diferente das virais, a meningite bacteriana, pode ser fatal. Por esta razão pessoas com sintomas de meningite devem procurar, imediatamente, atendimento médico.

        Como se faz o diagnóstico da meningite?
        Para saber se pode ser um caso de meningite é necessário fazer um criterioso exame físico do doente, coletar alguns exames de sangue e, especialmente do líquor( “líquido da espinha”). Com estes exames é possível indicar o tratamento adequado e definir se há medidas de controle junto aos familiares e comunidade.

        Quais as bactérias que podem provocar meningite?
        A princípio as espécies de bactérias podem causar meningite. As principais bactérias responsáveis por causar meningite são a Neisseriameningitidis (Meningococo), o HaemophilusInfluenzae do sorotipo B e o Streptococcuspneumoniae. O Meningococo pode causar a doença em pessoas de todas as idades. A transmissão ocorre por via respiratória e exposição prolongada. O risco é maior entre as pessoas que tem convívio íntimo com o doente, como aquelas que vivem na mesma casa ou dormem no mesmo alojamento (para as quais é recomendado o uso de medicamento para evitar outros casos).

Atenção! O meningococo não sobrevive no ar ou nos objetos, portanto, não contamina o ambiente.

O meningococo tem diferentes sorogrupos. No Rio Grande do Sul, como no Brasil, circulam os sorogrupos B, C, Y e W. No calendário de vacinas nacional, rotineiramente, se aplica a vacina contra o Meningococo C, a partir dos 3 meses de vida da criança.

A vigilância da doença em Alvorada está sustentada na busca ativa diária de casos no hospital da cidade, e contato direto com a vigilância do Estado, para dar suporte à notificação compulsória imediata dos casos suspeitos de meningite bacteriana e na emissão de alerta sempre que há uma alteração no comportamento da doença, de forma a subsidiar a assistência à saúde.

Marcos de Fraga Marques, Diretor do Centro de Vigilância em Saúde.

Alvorada, 10 de julho de 2015.