NOTA INFORMATIVA – MENINGITE

A Secretaria Municipal de Saúde frente às notícias que circulam em redes sociais vem por meio desta prestar alguns esclarecimentos referentes à meningite.

Meningite

A meningite é um processo inflamatório das meninges( membrana que envolvem o cérebro e a medula espinhal), o qual pode ser causado por diversos agentes infecciosos, como bactérias, vírus, parasitas e fungos, ou também por processos não infecciosos.

No Brasil, a meningite é considerada uma doença endêmica. Desse modo, casos da doença são esperados ao longo de todo o ano, com a ocorrência de surtos e epidemias ocasionais, sendo mais comum a ocorrência das meningites bacterianas ( as quais podem ser graves ) no inverno e das virais no verão.

Os sinais e sintomas de meningites pode surgir repentinamente e são febre, dor de cabeça, rigidez ou dor no pescoço, náuseas e vômitos. Manchas vermelhas ou roxas, pequenas ou grandes, na pele, podem indicar doença mais grave ( meningococcemia).

Mudanças de comportamento como confusão, sonolência e dificuldade para acordar podem, também, ser sintomas importantes. Em recém – nascidos e lactantes, os únicos sinais e sintomas de meningite podem ser febre, irritação, cansaço e falta de apetite .

Sempre que alguém apresentar ou observar esses sinais e sintomas, deve procurar imediatamente assistência médica, para assegurar-se do diagnóstico e iniciar o tratamento o mais precocemente possível.

Esclarecimento

O Município de Alvorada por meio da vigilância epidemiológica recebeu a notificação de um óbito suspeito de meningite bacteriana o qual encontra-se em investigação para confirmação laboratorial. A Equipe de Vigilância Epidemiológica, do Centro de Vigilância em Saúde – CVS, salienta que todas as medidas preventivas e de bloqueio foram implementadas a partir dos protocolos vigentes e das orientações do Centro Estadual de Vigilância em Saúde – CEVS/SES-RS.

O outro caso mencionado trata-se de meningite viral, não tendo relação com o primeiro caso.

A Secretaria Municipal de Saúde ressalta que NÃO HÁ SURTO DA DOENÇA e nenhum outro caso suspeito está em monitoramento. Para considerar-se um surto, há determinados fatores e condicionantes que devem se aplicar ao território no qual os casos foram notificados, o que não se verifica até o presente momento. Importante frisar que a doença transmite-se de pessoa a pessoa por meio de secreções respiratórias de pessoas infectadas, assintomáticas ou doentes. A partir disto, medidas de cuidado e prevenção devem ser adotadas como:

  • Identificação precoce de possíveis doentes;

  • Higienização adequada e frequente das mãos;

  • Proteção da boca e nariz ao tossir e?ou espirrar ( etiqueta respiratória);

  • Manutenção de ambientes arejados e limpos;

  • Não compartilhamento de utensílios;

  • Monitorar o calendário vacinal de crianças e adolescentes, e mantê-los em dia.