A Prefeitura de Alvorada informa que a campanha de vacinação contra o vírus Influenza foi prorrogada até o dia 9 de junho. Conforme o Núcleo de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde, até o momento, o município atingiu 75% da meta de imunização do grupo prioritário. Iniciada em 11 de abril, a campanha continuará ocorrendo com uma mudança: a dose da vacina também será oferecida para a população, e não apenas para o grupo prioritário.

Na próxima sexta-feira, 2 de junho, a expectativa é de que Alvorada receba a última leva de doses da Secretaria Estadual de Saúde. Serão repassadas 11 mil doses, sendo 4 mil para realizar a segunda vacinação em crianças, ficando as demais disponíveis aberta a população e ao grupo prioritário. A imunização é oferecida nas unidades básicas de saúde, unidades de referência em saúde e no Pronto Atendimento Municipal (PAM-8).

Neste ano, conforme a pasta de saúde, o objetivo é vacinar 90% do público, que significa um aumento de 10% em relação à campanha de vacinação de 2016. Como o vírus Influenza é facilmente mutável, a imunização é realizada anualmente para que se tenha um maior controle sobre os casos de gripe. Por esse motivo, o objetivo da ação é reduzir as complicações, internações e mortalidades resultadas da doença.

Integram o grupo de risco e são o público-alvo da campanha: crianças de 6 meses a menores de 5 anos, gestantes, mulheres até 45 dias após o parto, profissionais de saúde, indígenas, idosos, doentes crônicos, jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas. No Estado, 78% do grupo prioritário foi imunizado, o que representa 2,7 milhões pessoas vacinadas, segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde.

Saiba mais:

Segundo o Ministério da Saúde, a Influenza, também conhecida como Gripe, é uma infecção do sistema respiratório cuja principal complicação são as pneumonias, responsáveis por um grande número de internações hospitalares no país. Os principais sintomas da gripe são febre alta, seguida de dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça, coriza e tosse seca. Devido aos sintomas em comum, pode ser confundida com outras viroses respiratórias causadoras de resfriado.

A Influenza pode ser transmitida de forma direta por meio das secreções das vias respiratórias de uma pessoa contaminada ao espirrar, ao tossir ou ao falar, ou por meio indireto pelas mãos, que após contato com superfícies recentemente contaminadas por secreções respiratórias de um indivíduo infectado, podem carrear o vírus diretamente para a boca, nariz e olhos. Como vírus ou bactérias vivem por 2 a 8 horas em superfícies, lavar as mãos com frequência ajuda a reduzir as chances de se contaminar.

Conforme o Ministério da Saúde, a vacina influenza ofertada no SUS é recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e produzida no Brasil pelo Instituto Butatan em parceria com o laboratório privado Sanofi Pasteur. Por exemplo, durante a campanha de 2016, a vacina utilizada foi a trivalente, que protege contra os tipos de vírus A (H1N1), A(H3N2) e Influenza B, que são os de maior importância epidemiológica, de acordo com a própria OMS.

Texto: Ivan Júnior/ Edição-Revisão-foto: Fábio Medeiros