A luta por igualdade ganhou destaque em Alvorada nessa semana nos dias 18 e 19 de novembro, com a realização da Semana da Consciência Negra. Com o tema “Alvorada de todos os Povos”, o evento aconteceu na Praça Central João Goulart, na parada 48. Este ano a organizadora do evento foi a coordenadora do CREAS (Centros de Referência de Assistência Social), a Dra: Maria Fernanda Martins, com apoio da prefeitura de Alvorada.

A semana de comemorações teve início no dia 18 de novembro, na câmara de vereadores, com uma sessão solene com painel de palestras. O primeiro palestrante da noite foi Vanderlei Souza com o tema – Semana Consciência negra e a luta de um povo, seguido de Jorge Cruz com o tema – Lei 10.639, o Delegado Cleiton com o tema – Negros Juntos ao Poder Judiciário e o Secretário de Governo e Gabinete Dr. Paulo Ramos que abordou o tema – Protagonismo do Negro na Sociedade.

Já a Feira de Afro Negócios de Alvorada realizada na praça Central mostrou o potencial da cultura negra, das tradições africanas e do combate à intolerância.

A exposição da Feira Afro serviu para manter vivos os valores das culturas de raiz africana que tanto agregaram na construção da identidade brasileira. A maioria dos expositores buscou na ancestralidade religiosa a inspiração para as obras apresentadas no evento.

Durante esses dois dias, a população contou com apresentações culturais de dança, desfile de roupas afro, música e reuniu diversos expositores da cultura Afro de Alvorada. O encerramento ficou por conta do grupo de capoeira roda de samba IAPI e Mocidade Alegre.

Entenda o que é a lei 10 639: é uma lei do Brasil que estabelece a obrigatoriedade do ensino de “história e cultura afro-brasileira” dentro das disciplinas que já fazem parte das grades curriculares dos ensinos fundamental e médio.

Fique por dentro do assunto:

O Dia da Consciência Negra comemorado em 20 de novembro em todo País, data que faz referência ao dia da morte de Zumbi dos Palmares, líder do Quilombo de Palmares, que lutou para preservar o modo de vida dos africanos escravizados que conseguiam fugir da escravidão.

A importância deste dia está principalmente ligada ao reconhecimento dos descendentes africanos na constituição e na construção da sociedade brasileira.

Os principais temas que podem ser abordados nessa data são o racismo, a discriminação, a igualdade social, a inclusão do negro na sociedade, a religião e cultura afro-brasileira.

Texto: Carina Soares / Edição e Revisão: Alexandre Ramos / Fotos: Eduardo Silva / Divulgação