Na tarde da ultima quinta-feira (16), o salão nobre da prefeitura recebeu a primeira reunião do Movimento Negro de Alvorada (MNA). Na oportunidade, foram discutidos e debatidos diversos temas e sugestões para criação de políticas públicas e raciais no Município. Também foi discutido e apresentado um anteprojeto de lei, que tem como objetivo contemplar, em concurso público municipal, cota de vagas para negros. Este anteprojeto será apresentado ao prefeito Appolo na próxima semana para apreciação do executivo.

O MNA de Alvorada tem como objetivo principal criar um movimento forte, ativo e permanente para resgatar a autoestima e manter vivas suas tradições.

De acordo com o Secretário Paulo Ramos, esta iniciativa para fortalecer o Movimento deixa evidente para a sociedade alvoradense que qualquer forma de racismo, intolerância ou discriminação é repudiada pelo atual governo e que, portanto, também a sociedade deve se mobilizar para combatê-la.

“Todos estão convidados a participarem das próximas reuniões a fim de conhecerem um pouco mais da cultura e da história dos principais Movimentos Negros do Brasil. Somos um grupo aberto para dar aos nossos irmãos de cor uma contribuição mais efetiva, na construção e resgate da nossa autoestima”, finalizou Paulo Ramos.

Participaram da reunião os secretários municipais: Paulo Ramos, Alexandre Lobão, Vladmir Massa e Neusa Abruzzi, além do vereador Jackson do Hospital e demais membros de outros movimentos solidários ao tema e da comunidade em geral.

O próximo encontro do Movimento ocorrerá no dia 21 de Março às 17h30min no salão nobre da prefeitura, e contará com a presença de Jorge Luís de Andrade Oliveira, diretor regional dos Correios no RS, que irá realizar uma palestra com o tema “O negro na Sociedade Atual”.

Dia Internacional contra a Discriminação Racial

Esta data foi escolhida por ser o Dia Internacional contra a Discriminação Racial. No dia 21 de março de 1960, na cidade de Joanesburgo, capital da África do Sul, 20 mil negros protestaram contra a lei do passe, que os obrigava a portar cartões de identificação, especificando os locais por onde eles podiam circular.

No bairro de Shaperville, os manifestantes se depararam com tropas do exército. Mesmo sendo uma manifestação pacífica, o exército atirou sobre a multidão, matando 69 pessoas e ferindo outras 186. Esta ação ficou conhecida como o Massacre de Shaperville. Em memória à tragédia, a ONU – Organização das Nações Unidas – instituiu 21 de março como o Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial.

O Artigo I da Declaração das Nações Unidas sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial diz o seguinte:

“Discriminação Racial significa qualquer distinção, exclusão, restrição ou preferência baseada na raça, cor, ascendência, origem étnica ou nacional com a finalidade ou o efeito de impedir ou dificultar o reconhecimento e exercício, em bases de igualdade, aos direitos humanos e liberdades fundamentais nos campos político, econômico, social, cultural ou qualquer outra área da vida pública”.

 

Texto: Fábio Medeiros / Fotos: Magno Derlon