Os moradores de Alvorada talvez ainda não conhecem, mas sim, por aqui existem produtores rurais que tem feito um belo trabalho, chamando atenção de compradores de outras cidades, estados, e até países.

A família dos agricultores Paulo Ricardo e Vanessa Santos já cultivou verduras, trabalhou com produtos para a alta gastronomia, e há 8 anos plantam e vendem flores comestíveis aqui na cidade. Paulo e Vanessa desenvolvem um projeto de agricultura familiar em uma propriedade de 3 hectares, sendo que metade dela é usada para o cultivo de flores comestíveis, temperos e plantas medicinais. O casal de agricultores recebe orientação técnica e social da Associação Riograndense de Empreendimentos de Assistência Técnica e Extensão Rural. O trabalho feito pela EMATER-RS/ASCAR é realizado com o apoio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, que atua no licenciamento e na fiscalização ambiental.

O que Vanessa e Paulo produzem é distribuído em restaurantes, confeitarias de Porto Alegre e Viamão por meio da CEASA (Central de Abastecimento-RS), além disso, a venda de seus produtos é realizada no Mercado Público da capital, em casas de religião na região metropolitana, e recentemente já receberam pedidos de São Paulo e Portugal. Hoje são mais de 50 tipos de plantas produzidas pela família, como as flores comestíveis especiais, a flor do feijão borboleta azul e manjericões gourmet como o canela e o roxo. Na linha dos vegetais, a família produz variedades como cenoura, beterraba, repolho roxo e rabanete.

Nesta semana, o atual Secretário Municipal do Meio Ambiente, Rudi Guzatti, visitou o local e se aproximou da realidade da produção agrícola do município, trocando experiências e ouvindo os agricultores.

No final do ano passado, o Prefeito José Appolo, junto da Extensionista Rural e Chefe do escritório da EMATER-RS/ASCAR no município, Mônica Zang, assinou a minuta do contrato da continuação de prestação de serviços entre o Município e a Associação Riograndense de Empreendimentos de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER/RS). Prestar a assistência técnica e extensão rural e social, designado aos agricultores familiares, tendo em vista ao planejamento, a execução e a avaliação das atividades individuais e coletivas, com vistas ao desenvolvimento sustentável das Unidades de Produção Familiar, são os objetivos desta parceria. Atualmente, 82 famílias são atendidas no Município. A meta deste trabalho é trazer novidades que promovam o desenvolvimento rural de forma rentável, sustentável e consolidando a tecnologia como meio de integração e monitoramento visando o aperfeiçoamento do setor produtivo, além de proporcionar atividades aos assistidos dos CRAS e CAPS Municipal, e também as Escolas Municipais e o Instituto Federal.

Texto: Eduardo Silva / Fotos: Eduardo Porto / Edição e Revisão: CCS