Após decretar Estado de Calamidade Pública pelo desabastecimento de água potável em 75 mil pontos legalizados, que servem a 210 mil pessoas, a Prefeitura de Alvorada ingressou nesta sexta-feira (24) com ação de obrigação contra a Corsan. A ação requer o imediato restabelecimento no abastecimento de água potável para a cidade de Alvorada sob pena de multa diária, definida pelo Poder Judiciário. Além disso, o documento cobra os prejuízos causados à cidade pelo longo período de desabastecimento de água potável à população. O processo judicial corre na Comarca de Alvorada.