A Secretaria Municipal de Saúde, representada pela presidente do Conselho Municipal de Saúde, Janaina Marinho, e pelo vice, Milton Pires, participaram
da Pré-conferência de saúde da mulher, realizada durante a tarde da última quinta-feira, 5 de maio, no Instituto Federal do Rio Grande do Sul Campus Alvorada. Durante a abertura foi feito um convite para que todos compareçam à 1º Conferência de Saúde da Mulher – que tem como tema “Desafios para a integralidade com equidade”, que ocorre na próxima quinta e sexta-feira, 11 e 12 de maio.

Após, abriu-se para que todos pudessem falar e compartilhar acontecimentos do seu cotiano quando utilizam serviços de saúde no município. Nesse momento, a diretora de Direitos Humanos, Lúcia Heinbutcke e a tradutora e intérprete de Libras, Juliana Beppler, apresentaram a Central de Interpretação de Libras (CIL) de Alvorada.

Antes do encerramento, Janaina explicou como será a Conferência Municipal de Saúde, a importância da comunidade surda estar presente no evento, além de apresentar sugestões de propostas aos presentes. Profissionais de saúde do município, alunos do ensino médio subsequente e do curso técnico de Tradução e Interpretação de Libras também participaram da atividade.

Central de Interpretação de Libras

Localizada na Rua Porto Rico, Nº 75, Sala 205, a CIL é uma unidade de atendimento às pessoas surdas, surdocegas e deficientes auditivas (DA) na tradução e interpretação, auxiliando-as no acesso a serviços públicos e informações diversas. A Língua Brasileira de Sinais é reconhecida pela Lei Federal Nº 10.436/2002 como meio de comunicação e expressão dos surdos brasileiros. A CIL atende das 8 às 12h e das 13 às 17h.

Confira abaixo como o usuário pode solicitar o serviço:

“In Loco” – O usuário solicita um agendamento com o profissional tradutor e intérprete de Libras, através do telefone 3411-2410 ou pelo e-mail: (cil@alvorada@alvorada.rs.gov.br). O atendimento poderá ocorrer de forma simultânea com a tradução em tempo real de tudo que está sendo dito, ou pela tradução consecutiva para quando o surdo apresentar comprometimentos de ordem intelectual ou de sinalização gestual.

Presencial – O usuário ou órgão se dirige até a CIL e solicita o atendimento para a tradução de textos escritos, ligações telefônicas, agendamentos e outras solicitações que os usuários necessitarem.

Virtual – A CIL pretende realizar, em breve, atendimentos virtuais, por intermédio de um aplicativo em smartphone, tablet ou computador, na qual o órgão ou usuário poderá solicitar atendimento à distância.

Mesmo com os atendimentos sendo por agendamento, em casos que envolvam situações de urgência como de vida ou morte, se priorizará os atendimentos emergenciais em hospitais e em delegacias. Nestas ocasiões, a CIL sempre informará o órgão ou o surdo da impossibilidade do atendimento na hora e data agendada para quem fez o agendamento prévio.

Saiba mais:

A CIL não faz atendimentos de forma permanente como traduzir e interpretar surdos em situações de inclusão escolar, ou que desejam adquirir a Carteira Nacional de Habilitação ou eventos do Governo Municipal. Seguindo orientações do Governo Federal, a política de ação inclusiva tem por objetivo atender demandas que garantam a autonomia da pessoa surda em órgãos de circulação rotativa como delegacias, atendimentos jurídicos (Defensoria Pública e Ministério Público), hospitais, postos de saúde, Centro de Referência em Assistência Social e em agências bancárias.

Texto: Ivan Júnior/ Edição-Revisão: Fábio Medeiros/ Fotos: Ivan Júnior