fbpx

00

Martha Elena Guedes¹

O segredo é não correr atrás das borboletas… É cuidar do jardim para
que elas venham até você.” ― Mario Quintana

O projeto intitulado “Passeando entre sapatos floridos” foi projetado para ser apresentado no FECITAL da escola Dom Pedro II neste ano. Consistia em trabalhar com os alunos dos sétimos anos a temática Meio ambiente, sustentabilidade e reciclagem. A ideia principal era elaborar vasos ornamentais, o foco seria reciclar sapatos usados. Usando os sapatos velhos como utilitários transformando-se em objeto de destaque no futuro para o Jardim da escola. Este jardim citado será outro projeto futuro para elaboração da construção na pracinha usada pelos alunos das séries iniciais. Ornamentando o espaço lúdico com vasos (cahepô) e outros objetos do cotidiano descartados dando-lhes outra roupagem e colocando-os como personagem principal.

Quando comecei minha vida profissional de arte-educador preferi trabalhar com os alunos, usado projeto interdisciplinar. Encontrei na atual escola esta possibilidade tanto da parte do grupo de administradores, como também como alguns colegas. Por isso, convidei minhas colegas das áreas do conhecimento de língua portuguêsa, ciências e geografia para desencadearmos este projeto. Que terá desmembramentos e muitas possibilidades de ações

¹ Professora de Arte Educação
² http://quemdisse.com.br/frase/o-segredo-e-nao-correr-atras-das-borboletas-e-cuidar-do- jardim-para-que-elas-venham-ate/8985/ as 18h25min – 01/11/2016.

futuras e influenciará nossos alunos a construir, sonhar e criar um mundo melhor. Para Paulo Freire (1996) alunos bem formados desenvolvem o pensamento crítico e formam ideias com sentido próprio e pessoal.

O projeto não é uma simples representação do futuro, do amanhã, do possível, de uma ideia, é o futuro a fazer, um amanhã a concretizar, um possível a transformar em realidade, uma ideia a transformar em ação. Portanto, projetar requer abertura para o desconhecido e flexibilidade para reformular as metas, à medida que as ações projetadas evidenciam novos problemas e dúvidas. Hernandez e Ventura (1998) afirmam:

“A função dos projetos é favorecer a criação de estratégias de organização dos conhecimentos escolares… “(Hernandez e Ventura, 1998, p.61)³

Competências do professor no trabalho por projetos:

  • Incentivar e orientar o trabalho experimental;
  • Aceitação dos erros como fonte de regulação e progressão, desde que analisados e entendidos;
  • Valorizar a cooperação entre os alunos;
  • Explicitar e ajustar o contrato didático;
  • Ouvir as resistências dos alunos e levá-los em consideração;
  • Engajar-se no trabalho, mas ficando sempre na posição de árbitro.
  • O projeto de ensino com uma visão interdisciplinar

É importante considerar que nos tempos atuais as propostas de modelos de projetos devem apresentar flexibilidade e podem se adaptar em função do acelerado ritmo de transformação da sociedade, e também seja adaptável às características dos alunos com os quais se pretende trabalhar.

Disciplinas e professores envolvidos:

Arte educação Profª Martha Elena Guedes Biologia – Profª Letícia Beras
Geografia – Profª Luciana Canto
Lingua Espanhol – Profª Estelamaris Nery
Língua Portuguesa – Profª Andressa Griebler da Silva.
³ http://ribaprasempre.blogspot.com.br/2012/11/projeto-meio-ambiente- preservado_1216.html as 18h58 min – 01/11/2016.

Justificativa

A importância de desenvolver um trabalho voltado para a conscientização da comunidade escolar para a preservação do meio ambiente é uma preocupação de todos. Os conteúdos trabalhados vão além das salas de aula, pois temas relevantes são apresentados aos alunos nos espaços de que a escola dispõe: pátio, praça infantil e espaço ocioso ao lado da quadra coberta que são lugares de descobertas e realizações. O aluno investiga, elabora conceitos e constrói o seu conhecimento, deste modo, a escola incentiva formação de seus alunos, desenvolvendo uma democracia de valores culturais.

A preservação do meio ambiente, antes bandeira de um pequeno grupo de ativistas, passou a ser uma preocupação global e a partir daí políticas governamentais foram adotadas em todo o planeta. Essa inquietação deve-se à valorização da qualidade de vida e à percepção de que a sobrevivência do homem depende diretamente da preservação dos recursos naturais. Esta consciência critica é que devemos passar para nosso educandos.

Objetivos gerais:

1. Apresentar a natureza com suas belezas, curiosidades e fragilidades, mostrar lados positivos e negativos da ação do homem e valorizar a preservação, observar a diversidade das espécies da flora e fauna e os cuidados que devemos ter com a natureza. Conscientizar os alunos e alunas da importância de proteger o meio ambiente para manter a sobrevivência humana na terra.
2. Criar novas formas de interpretar nosso mundo escolar, buscando revitalizar nosso entorno com ambientes interativos, lúdico e saudável tanto ao olhar como espaço de convívio saudável.
3. Desencadear novos projetos que partiram de uma temática ramificando para outras áreas do conhecimento.

Objetivos específicos:

Promover estudos, pesquisas, debates, palestras e atividades sobre as questões: ambiental, alimentar e nutricional;
Oportunizar trabalhos escolares dinâmicos, participativos, prazerosos, inter e transdisciplinares;
Estimular descobertas e inovações tecnológicas na escola;
Gerar aprendizagens múltiplas;
Integrar os diversos profissionais da escola por meio de estudos e pesquisas sobre o tema currículo escolar;
Oportunizar a participação da comunidade nas atividades escolares;
Propiciar o comprometimento dos educandos com o ambiente

Gerar relações interpessoais mais respeitosas das individualidades e diversidades, além de práticas humanas mais cooperativas, solidárias e fraternas.
METODOLOGIA:

Os alunos participarão de várias atividades relacionadas à preservação do meio ambiente como: passeio ecológico, gincana de conhecimento, produção de horta e plantio de espécies ornamentais e construção de espaços ou nichos visando o reaproveitamento do ambiente escolar como forma de integração social dos alunos.
4. Oficinas de reciclagem e Oficina de Desenho de Observação.

O trabalho com esse material fundamenta a visão de que tudo pode ser renovado ou transformado, em oficinas com sucatas, que incentivam a arte de reciclar o lixo, reciclando sapatos transformando-os em utilitários (vasos) para plantas como as turmas dos sétimos anos e oficina de desenho de observação com as turmas dos oitavos anos.

01

 

02

4 Andressa Griebler da Silva

Trabalhar e desenvolver os gêneros textuais começando pela poesia. Mostrar para os alunos dos sétimos anos como é a estrutura dos poemas e oportuniza-los a criar versos.

A partir do projeto “Passeando entre sapatos floridos” foi dada a proposta de os alunos criarem seus poemas com temas relacionados a natureza, jardins e flores. Com liberdade de criação os alunos produziram variadas poesias que foram colocadas nos sapatos floridos para a exposição da FECITAL.

03   04

4 Professora de Língua Portuguesa

05

Aproveitando os poemas feitos as professoras e espanhol fizeram a tradução dos versos com os alunos e a professora de artes e educação trabalhou a ilustração dos mesmos. Essas atividades transformaram-se no livro bilíngue e ilustrado dos sétimos anos.

O livro foi lançado no dia do “abraço de incentivo a leitura”, na Escola Dom Pedro II.

06

 

 

retorna sumario