Durante a última terça-feira(13) foi realizada uma ação que tem como objetivo conscientizar a população de Alvorada. Para chamar atenção para o combate ao trabalho infantil, a Comissão Municipal do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil(COMPETI) organizou duas passeatas, uma no período da manhã e outra à tarde, e convidou escolas e instituições de assistência social para participar. O trajeto percorrido iniciou em frente a Farmácia Municipal na rua Nilzo Ramires, 180 e acabou no Ginásio Municipal Tancredo Neves.

As medidas tomadas para combater o trabalho infantil ganharam novo folego com a aprovação de políticas públicas favoráveis à essa causa em agosto de 2016. Assim que entraram em vigência, começaram as ações sistemáticas configurando um trabalho constante de vigilância. Considerando a situação em que se encontram as crianças submetidas à condições irregulares e muitas vezes insalubres, os profissionais do Centros de Referência Especializado de Assistência Social(CREAS) de Alvorada prestam um serviço de extrema valia a comunidade.

Existe uma equipe formada por educadores sociais orientada a monitorar os bairros do município procurando crianças em situações vulneráveis. Quando encontram alguma criança trabalhando é feita a abordagem e após constatar as irregularidades a equipe encaminha o menor para atendimento com um profissional capacitado a lidar com esse tipo de circunstância. O acompanhamento é possível ser feito até o menor completar 17 anos. O que dificulta as ações de proteção é quando se usa a desculpa de que este é um traço cultural, e que é mantido há bastante tempo.

A caminhada se dirigiu até o ginásio municipal Tancredo Neves onde haviam brinquedos infláveis, cama elástica, pipoca e outras atividades destinadas ao público jovem. Participaram da caminhada representantes do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente(COMDICA), escolas municipais e estaduais, Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), Centro Franciscano Pedro Chaves Barcellos, REDIPASC, aprendizes dos projetos Pescar e Jovem Aprendiz da SOUL e da ACIAL além de representantes das secretarias municipais de educação(SMED), de segurança e mobilidade urbana(SMSMU), de planejamento urbano e habitação(SMPH), de trabalho, assistência social e cidadania(SMTASC) e de governo e gabinete(SMGG).

Para denunciar situações irregulares de trabalho que envolvam menores ligue para o Disk 100 ou procure o Ministério do Trabalho.

Texto/Fotos: Mauricio Velasques / Revisão-edição: Celso Dornelles