Na tarde da ultima quinta-feira dia (8), no salão nobre da prefeitura aconteceu a eleição do Conselho Municipal do Plano Diretor de Alvorada.

De acordo com a Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação, os candidatos eleitos foram:

Conselheiros titulares:

Maria Luisa Rodrigues: 16 votos

Eunice Vargas Motta: 7 votos

Rodrigo Roxo de Oliveira: 43 votos

Luis Ernesto Cardoso Oliveira: 1 voto

Márcio Manfrói: 7 votos

**Mario da Silva Ferreiro: 4 votos

Newton Zanino: 3 votos

Conselheiro indicado pela UAMA:

* José Dantas: 2 votos

Suplentes:

Jorge Valentim Ambos: 4 votos

Tatiane Canabarro: 4 votos

Não eleito:

Marcelo Canabarro Ferreira

Total de votos: 91

*Indicado por entidade de Alvorada, não sujeito a votação.

**Candidato eleito por determinação do Presidente do Plano Diretor (Secretário da SMPH), por ser identificado o de maior idade, assim tornando-se o Conselheiro titular.

Atribuições do Conselho do Plano Diretor, conforme Lei 1137/2000;

Art. 3o Ao CGPD compete:

                        I – Formular as políticas e estabelecer as diretrizes conceituais sobre programas, planos e projetos de desenvolvimento urbano;

                        II – Conduzir a aplicação da legislação urbanística e ambiental no município e assegurar sua permanente atualização;

                        III – Recolher e refletir as expectativas da sociedade na aplicação do Io Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano e Ambiental;

                        IV – Examinar e se pronunciar sobre empreendimentos que gerem impacto tanto no espaço urbano como nas áreas de preservação;

                        V – Decidir sobre a liberação de utilização e/ou ocupação de áreas de preservação ambiental, públicas ou privadas, e de verdes vinculados;

                        VI – Disciplinar a aplicação do solo criado no que diz respeito a estoques e valores;

                        VII – Examinar e deliberar sobre a solicitação de área construída pela aplicação do Solo Criado, conforme art. 17 do I Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano e Ambiental de Alvorada;

                        VIII – Apreciar e se posicionar sobre a implantação de seus usos restringidos nas diversas Zonas;

                        IX – Pronunciar-se sobre as questões básicas que dizem respeito ao desenvolvimento urbano do município.

Texto: Fábio Medeiros/ Fotos: Magno Derlon