A Prefeitura de Alvorada está implementando, ainda em fase de testes, a Central de Videomonitoramento da cidade. 16 câmeras estão espalhadas por pontos estratégicos do município, conforme definido pela Brigada Militar. Dentre esses locais estão as vias de acesso ao município. Como a transmissão é feita por cabos de fibra ótica, as imagens captadas não terão problema de delay. As câmeras possuem um campo de alcance de 360º, num zoom de 36 vezes, que pode aproximar uma ação que esteja em média a um quilômetro de distância. O investimento, que já inclui a manutenção de um ano, chega a R$ 250 mil.

Neste momento, apenas a Guarda Municipal, responsável pela segurança do patrimônio público, está operando a Central de Videomonitoramento. De acordo com a SMSMU, o próximo passo é ter um integrante da PM com o objetivo de contatar situações suspeitas para a Brigada Militar.

Para que a Central de Monitoramento seja implantada, saindo da fase de testes, é necessário que uma Lei, que está em trâmite na câmara de vereadores, seja aprovada. De acordo com Rosa, a lei deve ser outorgada nas próximas semanas.

Gabinete de Gestão Integrada
Com a implantação da Central de Videomonitoramento, o Gabinete de Gestão Integrada (GGI) também deve ser implantado. Integram o gabinete secretarias municipais responsáveis pela fiscalização, como a SMSMU, SMOV, autoridades policiais, como as Polícias Civil e Militar, e órgãos da sociedade civil como a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).