O recente Levantamento de Índice Rápido do Aedes Aegypti, realizado entre os dias 14 a 23 de maio em Alvorada apresentou resultados preocupantes. Foram visitados 4.366 imóveis em todos os bairros da cidade e coletadas 405 amostras de larvas do mosquito. Todos os bairros apresentam índices que indicam alto risco para epidemia de dengue/zika/chikungunya. Salienta-se que 67% dos recipientes onde as larvas foram coletadas são pequenos depósitos, tais como pratos de plantas, latas, potes, etc , que podem (e devem!) facilmente ser removidos ou eliminados pelos moradores.
Desde o início do ano, Alvorada já registrou 6 casos autóctones de dengue; outros 14 casos notificados aguardam resultado do Laboratório Central do Estado. Os casos confirmados ocorreram nos bairros Formosa (3), Americana (2) e Intersul (1). É importante ficar atento aos sintomas da doença (febre, dor no corpo, manchas vermelhas na pele, náuseas, dor atrás dos olhos) e procurar atendimento médico. Imediatamente o paciente deve começar a usar repelente de insetos e intensificar a hidratação (beber muita água).
Neste momento, é fundamental que cada um faça a sua parte: as equipes dos Postos de Saúde já estão atentas para identificar, tratar e notificar novos casos que surgirem; os agentes de endemias estão inspecionando os bairros infestados e orientando os moradores; a Secretaria da Saúde está realizando os bloqueios de transmissão e aplicação de inseticida, de acordo com as normas do Ministério da Saúde; porém nada disso adiantará se cada morador não fizer a sua parte. CABE À POPULAÇÃO VISTORIAR SEMANALMENTE SEU PÁTIO E ELIMINAR QUALQUER TIPO DE ÁGUA PARADA. Pratos de plantas devem ser retirados, pneus devem ser mantidos secos e em local coberto, piscinas devem ser desmontadas ou tratadas com cloro o ano inteiro, garrafas devem ser guardadas com o gargalo para baixo. Objetos sem uso devem ser colocados em sacos plásticos e encaminhados à coleta de lixo. Caso sejam encontradas larvas, basta virar a água em local com terra ou piso, que elas morrem