O projeto “Silêncio! Lá vem o mímico”, do Grupo Nós Mimo, da cidade de Gramado, irá se apresentar em Alvorada. O espetáculo será apresentado em 11 de novembro em dois horários. A apresentação de mímica “FRITZ” será na Praça Central João Goulart (Pda. 48), às 15 horas. A segunda atividade será realizada no Salão Nobre da Prefeitura de Alvorada, às 19 horas, quando o grupo organiza um workshop (curso com o objetivo de trocar experiências e ensinar técnicas práticas).

A apresentação de mímica “FRITZ” é baseada na apresentação de cenas clássicas e de quadros de humor sutil e refinado. Serão utilizadas perspectivas cotidianas para abordar a relação do capitalismo com o indivíduo na sociedade atual. O projeto revive com a mímica clássica e a mímica “falada” a imaginação do espectador. O espetáculo traz pequenas cenas caracterizadas como “pockets”, circulando e colorindo os espaços com objetos imaginários e concretos, criando momentos interativos com gestos, adereços e expressões corporais.

O workshop será demonstrativo do processo de criação do processo de crianção cênica do personagem. A capacitação deve durar cerca de duas horas e os participantes devem ser maiores de 16 anos. Para mais informações, entre em contato com o grupo pelo e-mail: nosmimo@gmail.com .

Serviço:
O quê: apresentação do Grupo Nós Mimo.
Quando: 11 de novembro (sexta-feira).
Onde: Praça Central João Goulart (Pda. 48).
Horário: a partir das 15h.

Sinopse

Fritz passa a desejar o chapéu do capitalismo assim que este surge em seu caminho, atentado por seu desejo, pensa apenas no status que o novo irá lhe trazer. Ao tentar colocar o chapéu, percebe que ele tem vida própria, ora o chapéu anda sozinho, ora não anda, ora está pesado e depois passa a flutuar. Ao conseguir vestir o chapéu, Fritz passa a ter reações estranhas em seu corpo, movimentos involuntários, repentinos e descontrolados. Logo, percebe que está preso num mundo de ilusões causadas por este chapéu, descobrindo-o assim, como seu opressor, tirando a sua liberdade de existência e decisão.

Frustrado com a aquisição, Fritz passa a querer livrar-se do belo e poderoso chapéu, para conseguir assim, voltar à liberdade que antes possuía. Ao longo do espetáculo realizam-se performances corporais e ilusões visuais com maletas, bexigas, pesos imaginários, chapéus e números participativos, criando assim um ambiente convidativo à integração entre o artista e o espectador, para sensíveis percepções da realidade através de uma fácil compreensão, com teor pedagógico e comunicação prática e criativa.