24 de março é o Dia Mundial de Combate à Tuberculose. Para marcar a data, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) da Prefeitura de Alvorada, em parceria com o Programa Municipal de Controle da Tuberculose, vai realizar uma caminhada contra a doença. No mesmo dia, uma barraca com uma equipe de saúde estará em frente ao prédio administrativo da prefeitura (Avenida Getúlio Vargas, 2266) fornecendo informações.

Com a saída marcada para 10h, no Pronto Atendimento Municipal – PAM 8 (Rua Roberto de Souza Feijó, 147), a caminhada vai percorrer as Ruas Ceará, Bandeirantes e Getúlio Vargas, retornando depois para o ponto de partida. A barraca instalada em frente a Prefeitura fornecerá orientações e distribuição de materiais com informações sobre o que é tuberculose; como a doença é transmitida; como diagnosticá-la; como prevenir; o tratamento; e onde buscar ajuda médica para a população.

As atividades não ficam restritas ao dia 24. Ainda durante a semana vão ocorrer diversas ações nas unidades básicas de saúde, Pronto Atendimento Municipal (PAM-8), escolas da rede municipal e estadual, instituições filantrópicas e em pontos de grande fluxos de pessoas em bairros.

Confira as atividades da semana:

Dia 20 de março (segunda-feira)

No dia 20, o Programa de Tuberculose Municipal realizará visitas em instituições de longa permanência do município, onde serão dadas orientações e a distribuição de material informativo. Na oportunidade também serão ofertados exames de escarro para identificar possíveis casos de tuberculose.

Dia 21 de março (terça-feira)

No dia seguinte, será a vez das escolas da rede municipal e estadual receberem as ações. Agentes comunitários de saúde irão até as instituições de ensino conversar com estudantes e distribuir materiais informativos sobre a doença. As atividades ocorrerão pela manhã e a tarde.

Dia 22 de março (quarta-feira)

Com objetivo de conscientizar a população, o Programa vai montar estandes em locais de grande circulação em bairros de Alvorada no dia 22 de março. A partir das 9h, serão passadas orientações aos munícipes e entregue materiais informativos sobre a doença. A ação acontece até 16h. Confira os locais do município que receberão os estandes.

Dia 23 de março (quinta-feira)

As unidades básicas de saúde e Pronto Atendimento Municipal também estão no itinerário da série de ações desenvolvidas pelo setor de Tisiologia da SMS. Equipes de saúde e os agentes comunitários vão realizar palestras com grupos que participam de atividades nos centros médicos. Para quem estiver buscando atendimento, serão dadas orientações, será distribuído material informativo e fornecido exame para diagnóstico.

Dia 24 de março (sexta)

Mesmo após o Dia Mundial de Combate a Tuberculose, as atividades não param. No dia 27, a equipe de Tisiologia vai visitar o abrigo municipal para realizar testes que identifiquem possíveis casos da doença. Aproveitando a oportunidade, serão passadas orientações a equipe que trabalha no local. Mais informações sobre as ações programadas podem ser obtidas pelo telefone 3411-8018.

Serviço

O quê: Dia Mundial de Combate a Tuberculose;
Quando: próxima sexta-feira, 24 de março;
Atividade: Caminhada, a partir das 10h;
Onde: Concentração no PAM-8 (Rua Roberto de Souza Feijó, 147);
Atividade: Barraca da Tuberculose;
Onde: Em frente a Prefeitura (Avenida Getúlio Vargas, 2266).

Números da doença

Segundo o Setor de Tisiologia da SMS, o lema do Dia Mundial de Combate a Tuberculose em 2017 é “Tosse +3 semanas: procure uma unidade de saúde para investigar”. No Brasil, são diagnosticados cerca de 68 mil novos casos por ano, vitimando cerca de 4,5 mil pessoas anualmente. Por isso a necessidade de datas que mobilizem a população, com a difusão de informações sobre a doença e esclarecimento de dúvidas.

O Rio Grande do Sul está em 4º lugar no número de incidência da doença, com 41 casos para cada 100 mil habitantes. No estado, há 15 municípios prioritários da tuberculose, levando-se em consideração os com maior número de casos e maiores taxas de abandono de tratamento.

Alvorada faz parte deste grupo e ocupa o segundo lugar de incidência de casos no RS, atrás somente de Porto Alegre. Ao longo dos anos tivemos uma média de 250 casos/ano. A taxa de abandono de tratamento é elevadíssima, correspondendo a 21%, e a incidência de óbitos em 5%.

O Programa Municipal de Controle da Tuberculose também lembra que a tuberculose está fortemente associada ao HIV. No município, 27% dos pacientes com tuberculose também são portadores de HIV. Lembramos que a tuberculose tem cura, entretanto, se não tratada, pode levar a morte. O tratamento é gratuito e está disponível em toda a rede municipal de saúde.

SAIBA MAIS

– O que é Tuberculose?

É uma doença causada por um bacilo que ataca principalmente os pulmões, mas pode também ocorrer em outras partes do corpo, como ossos, rins, e meninges (as membranas que envolvem o cérebro).

– Como se previne a Tuberculose?

Evite ambientes fechados e mal ventilados, pois eles favorecem a transmissão da doença. A vacina BCG, obrigatória para menores de um ano, só protege as formas mais graves da doença. Adultos não são protegidos por esta vacina.

– Como se pega a Tuberculose?

A tuberculose é transmitida de pessoa a pessoa. Ao espirrar, tossir ou falar, o doente com tuberculose nos pulmões espalha no ar as bactérias que podem ser aspiradas por outras pessoas.

– Como se trata a Tuberculose?

Após o diagnóstico na unidade de saúde, o tratamento deve ser feito o quanto antes e por um período mínimo de seis meses, diariamente e sem nenhuma interrupção, mesmo com o desaparecimento dos sintomas. O tratamento só termina quando o médico confirmar a cura por meio de exames. Tem cura para quem se trata até o final.
– Como se sabe que alguém está com Tuberculose?

Se você está com tosse por mais de três semanas, acompanhada ou não de febre no fim do dia, suor noturno, falta de apetite, perda de peso, cansaço ou dor no peito, pode ser tuberculose.

NÃO ESQUEÇA:

– Tosse por mais de três semanas, com ou sem catarro, pode ser tuberculose.

– A tuberculose tem cura, desde que tratada adequadamente e por um período mínimo de seis meses.

– O tratamento NÃO deve ser abandonado, mesmo com o desaparecimento dos sintomas.

– Compartilhar talheres, copos, toalhas ou banheiros NÃO transmite tuberculose.

– Todas as Unidades de Saúde podem fazer o diagnóstico e encaminhar para o Programa da Tuberculose – Tisiologia para tratamento.

Texto: Ivan Júnior/ Edição-Revisão: Celso Dornelles/Fábio Medeiros/ Ilustração: Jordana Schardosim

Ainda não existem comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados (*).