A Defesa Civil de Alvorada apresenta relatório atualizado sobre a situação das cheias no município. Até às 18 horas desta quinta-feira, dia 24 de setembro, oito famílias desabrigadas, que não tiveram alternativa de buscar abrigo junto da casa de parentes, foram deslocadas para a Escola de Capacitação Anísio Teixeira (rua Wenceslau Fontoura, 556, localizado no bairro Nova Americana). Além de 32 famílias desalojadas. Cerca de 15 ruas já foram atingidas pelo alagamento, divididas entre os bairros Americana, Nova Americana e Vila Barcelos.

Na noite de ontem, dia 23 de setembro, a situação da cidade e o plano de ação para enfrentar os alagamentos foram apresentados para a comunidade. O Conselho da Cidade e a Defesa Civil de Alvorada reuniram-se, de forma extraordinária, no Salão Nobre da Prefeitura. A reunião foi convocada terça-feira, em virtude da quantidade de chuva que atinge o município desde a última semana. Na oportunidade, o Prefeito alertou para a necessidade de prontidão uma vez que a situação possa agravar-se.

O desassoreamento do Arroio Feijó já retirou mais de 15000m³ de areias e resíduos, que equivalem a carga de 1000 caminhões desde que iniciou sua operação no dia 1º de agosto. O trabalho realizado pela escavadeira hidráulica minimizou os impactos da quantidade de chuva dos últimos dias.

Saiba mais:

Obra do Dique está na primeira fase

Popularmente conhecida como Dique de Alvorada, a obra está em sua primeira fase. Em andamento desde o final de maio, a primeira etapa consiste nos estudos e relatório de impacto ambiental referentes ao anteprojeto de engenharia. Esse trabalho deve ocorrer no período de seis meses, quando a partir daí vão ser definidas as obras contra as cheias do Rio Gravataí e afluentes, em Alvorada e Porto Alegre. Conforme o engenheiro da STE, Jaime Gomes, o cronograma de ações consiste no plano de trabalho (já aprovado e apresentado para a Metroplan), levantamento de dados, levantamento de campo, diagnóstico, estudos de concepção, anteprojetos de engenharia, projeto de trabalho socioambiental e plano de ação.

Quinzenalmente o grupo de trabalho, formado pela Metroplan, Comitê da Bacia do Rio Gravataí, Prefeitura de Alvorada, Prefeitura de Porto Alegre e STE, faz reuniões para discutir o andamento dos estudos para o projeto. Depois da definição de qual projeto de engenharia será feito, dique, casas de bombas, entre outros, será possível precisar o prazo da obra. Além disso, também está previsto aproximadamente um semestre para realização dos estudos ambientais.